Como comer pouco pode prejudicar a perda de peso

Quando o objetivo é perder peso, uma das primeiras estratégias adotadas pela maioria das pessoas centra-se na redução drástica da ingestão alimentar, nomeadamente na redução quase completa de alimentos que sejam fontes de hidratos de carbono (arroz, massa, batata, pão, etc), - macronutriente essencial na produção energética.

A esta estratégia, associam-se, muitas vezes, programas de exercício físico intenso, como forma de potencializar a rápida perda de peso.


O nosso organismo é muito inteligente e o processo de emagrecimento é “visto” por este como um “ataque”, já que naturalmente o corpo não procura o estado de défice energético. Nesse sentido, este tipo de procedimentos requerem adpatações metabólicas , provocando um “efeito poupador de energia”, e, dessa forma, retardando a desejada perda de peso.


Principais consequências metabólicas do défice energético severo:

  • Perda de massa muscular;

  • Dificuldades de concentração e coordenação;

  • Aumento da fadiga, irritabilidade e stress;

  • Amnorreia em atletas femininas;

  • Cabelos, pele e unhas frágeis e quebradiços.

Neste sentido, quando pretendemos perder peso, o mais adequado será consultar um nutricionista que terá capacidade de prescrever um plano alimentar com um défice energético suave e gradual associado à pratica de exercicio fisico. Quando o processo é orientado neste sentido, o organismo adapta-se mais facilmente aos novos hábitos alimentares, ao mesmo tempo existe um aporte de energia suficiente para a prática de atividade física.


Se precisares de ajuda a atingir os teus objetivos, fala comigo aqui.



Sílvia Costa Coelho

Nutricionista Clínica e Desportiva [C.P.3756N]





67 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo